Iniciativa promove incentivo à leitura para alunos da E. M. José Luiz dos Reis, no bairro Barreiro do Amaral

Realizado mensalmente, a última edição do Projeto Mala Viajante, da Escola Municipal José Luiz dos Reis aconteceu nesta terça-feira, 11, no bairro Barreiro do Amaral e contou com a presença de alunos do Colégio Maximus, promovendo um intercâmbio entre alunos das duas instituições.
“Como o bairro não tem muitas atividades, eu e quatro amigas resolvemos criar esse projeto e, uma vez por mês, reunir as crianças e suas famílias para uma tarde agradável, de interação, com brincadeiras e empréstimo de livros”, conta a diretora da escola municipal, Adriana Pires. “Já temos cerca de 600 livros na escola, arrecadados com esse projeto e hoje, contamos com a parceria do Colégio Máximus, que está nos doando mais livros”, completou.
Os alunos da rede particular fizeram uma campanha para arrecadar livros literários. Eles também organizaram um teatro de bonecos sobre a história narrada por Regina Rennó, no livro "O menino que entregava leite" e apresentaram uma música, que foi conduzida ao violão por um ex-aluno da escola municipal.
“É muito gratificante poder compartilhar histórias com os alunos da escola José Luiz dos Reis e com a comunidade do bairro Barreiro do Amaral. É um crescimento pessoal para cada aluno e para a escola também. A iniciativa começou com a professora de literatura, que trouxe a ideia de arrecadar os livros e de repente a escola inteira participava do projeto”, disse a diretora do Colégio Maximus, Marcelle Soares Lopes.
O projeto foi idealizado com o objetivo de incentivar a leitura e, consequentemente, melhorar o resultado dos alunos na escola e é voltado para alunos com idades entre 4 e 12 anos e suas famílias. No último sábado do mês, as crianças e os familiares se reúnem num campo de futebol, próximo à escola, para lerem e assistirem às apresentações literárias.
Segundo Daniele Cristina dos Santos, mãe de dois alunos da Escola Municipal José Luiz dos Reis, desde que começou, o projeto vem desenvolvendo o gosto pela leitura em seus filhos. “Eu vejo a interação entre pais e filhos e as brincadeiras que envolvem toda família, inclusive irmãos que não estão na escola. Em uma época tecnológica, em que pais e filhos não têm mais interesse de ler e brincar ao ar livre, o projeto tem incentivado isso”, pontuou a mãe