Devido à circulação do vírus da febre amarela na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a Secretaria Municipal de Saúde mantém o alerta para que as pessoas que, por algum motivo, ainda não tenham recebido a dose de vacina procurem uma das 25 salas de vacinação do município, das 8 às 17 horas, para a imunização contra a doença.

Portando, se você ainda não se preveniu, essa é a hora. Vá a uma unidade de saúde mais próxima de sua residência e leve seus familiares.

A Prefeitura de Santa Luzia, por meio do Departamento de Vigilância Epidemiológica, realiza o monitoramento constante de possíveis focos da doença que, assim como a Dengue, a Zika e a Chikungunya, também é transmitida pelo Aedes Aegypti. Com a chegada do verão, o departamento já intensificou as ações de combate ao mosquito. As altas temperaturas e a umidade típica dessa época são propícias para a proliferação do mosquito.

A comunidade também pode contribuir eliminando os possíveis focos dentro de sua própria casa. Evite água parada!
De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil enfrentou em 2016/2017 um grande surto de febre amarela, envolvendo, principalmente, os estados do Sudeste, com destaque para Minas Gerais e Espírito Santo.

A febre e os macacos
É importante ressaltar que os macacos não transmitem a doença. Na verdade, os macacos, assim como os seres humanos, são vítimas. Eles são os primeiros a adoecer e por isso servem de alerta (sentinelas). A Secretaria Municipal de Saúde pede à população para que, ao encontrar um desses animais mortos, entrem em contato com Departamento de Vigilância Epidemiológica, através do telefone 3637-7833, para que o animal seja coletado e levado para análise laboratorial.

© Copyright Prefeitura Municipal de Santa Luzia 2016. Todos os direitos reservados.